Ventania causa pânico e deixa várias casas destelhadas no bairro do Pacoval

Os moradores da rua Pernambuco relatam que por volta de 1:30 da madrugada do dia 9 (sábado para domingo)

Ventania causa pânico e deixa várias casas destelhadas no bairro do Pacoval
Fotos João Ataíde

Uma ventania causa pânico em moradores do bairro do Pacoval na cidade de Macapá que é a capital do estado do Amapá. Os moradores da rua Pernambuco relatam que por volta de 1:30 da madrugada do dia 9 (sábado para domingo), no momento de chuva a ventania passou como um redemoinho quebrando tudo o que via, as casas ficaram totalmente descobertas.

Na manhã de domingo os estragos puderam ser vistos e perplexos realizam mutirão, uns juntando outros consertando os telhados. “Como morador desse canto do bairro do Pacoval, todos os anos nesse período acontece a passagem dessa ventania, mas de todos os anos nunca haviam acontecido dessa forma”, friso meu.

No momento em que acontecia o sinistro faltou energia elétrica, as pessoas sem saber o que acontecia, corriam para fora de suas casas, era como uma corrida de cavalos nos telhados em simultâneo, o vento forte levava o que observava pela frente jogando longe, as telhas quebradas, estruturas retorcidas, um sinistro que foi apenas uma passagem de algo que destruiu o que constatou pela frente.

Relembrando o que o meteorologista Jeff Masters, da Universidade de Yale, especialista em Meteorologia tropical, alertou: O meteorologista de Yale observa que normalmente em junho o padrão de vento divergente é muito alto e as temperaturas do oceano geralmente são marginais, o que não favorece que se formem furacões. Jeff Masters destaca que está onda tropical se desloca muito ao Sul, evitando o ar seco ao Norte e a poeira do Saara que frustraria a formação de um ciclone tropical.

Ressalta ainda que há muito pouco vento divergente no seu caminho, o que cria o ambiente favorável à formação de um ciclone tropical. Os dados dos modelos indicam que Bonnie poderia se formar sobre o Atlântico logo ao Norte do estado brasileiro do Amapá, da Guiana Francesa e o Suriname, movendo-se para Oeste.  (fonte Ipmnews.com).

O viajante.