AP tem queda pelo 5º ano seguido, mas segue com a maior taxa de mortalidade infantil do país

Dados do IBGE apontam 22,6 óbitos de crianças com menos de 1 ano a cada 1 mil nascidas. Taxa de mortalidade infantil do Amapá foi a maior do país em 2019 Reprodução/Pixabay Com taxa de 22,6 óbitos a cada 1 mil nascidos vivos, o Amapá registrou em 2019, mais uma vez, a maior taxa de mortalidade infantil do país. O indicador é quase o dobro da média nacional (11,9) e 3 vezes maior que a do Espírito Santo, estado com menor número (7,8). Os dados integram a pesquisa Tábua Completa de Mortalidade para o Brasil – 2019, divulgada na manhã desta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A redução em relação a 2019 foi de 0,2, mesma queda desde 2015. Ela só foi maior em 2014, quando ficou 0,3 menor. As altas taxas de mortalidade infantil atinge em cadeia os estados do Norte e do Nordeste, que ocupam 12 dos 13 mais elevados índices. Para o IBGE, a mortalidade pode ser explicada principalmente pelas condições de vivência e moradia, como oferta de serviços públicos de infraestrutura e saúde. "Mas mesmo os estados do Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais, além do Distrito Federal, com taxas abaixo de 10 por mil, estão longe das encontradas nos países mais desenvolvidos do mundo", divulgou o instituto. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:

AP tem queda pelo 5º ano seguido, mas segue com a maior taxa de mortalidade infantil do país
Dados do IBGE apontam 22,6 óbitos de crianças com menos de 1 ano a cada 1 mil nascidas. Taxa de mortalidade infantil do Amapá foi a maior do país em 2019 Reprodução/Pixabay Com taxa de 22,6 óbitos a cada 1 mil nascidos vivos, o Amapá registrou em 2019, mais uma vez, a maior taxa de mortalidade infantil do país. O indicador é quase o dobro da média nacional (11,9) e 3 vezes maior que a do Espírito Santo, estado com menor número (7,8). Os dados integram a pesquisa Tábua Completa de Mortalidade para o Brasil – 2019, divulgada na manhã desta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A redução em relação a 2019 foi de 0,2, mesma queda desde 2015. Ela só foi maior em 2014, quando ficou 0,3 menor. As altas taxas de mortalidade infantil atinge em cadeia os estados do Norte e do Nordeste, que ocupam 12 dos 13 mais elevados índices. Para o IBGE, a mortalidade pode ser explicada principalmente pelas condições de vivência e moradia, como oferta de serviços públicos de infraestrutura e saúde. "Mas mesmo os estados do Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais, além do Distrito Federal, com taxas abaixo de 10 por mil, estão longe das encontradas nos países mais desenvolvidos do mundo", divulgou o instituto. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP: