Ressaca da Pedreira: Uma comunidade enraizada na fé e na cultura

A vila de Ressaca da Pedreira: Uma história serrada

Ressaca da Pedreira: Uma comunidade enraizada na fé e na cultura
Foto João Ataide

Localizada em uma região serrada, a vila de Ressaca da Pedreira recebeu seu nome originalmente como Ressaca Serrada da Pedreira, posteriormente simplificado para Ressaca. As terras da região possuem uma escritura identificada pelo número 61 - número 48 - folhas 1, remontando aos primeiros registros datados de 1933. Os primeiros habitantes, como Vicente Valério, Carlota Lina da Silva, Mariano Barbosa dos Santos e Nestor, cuja história merece um capítulo à parte, estabeleceram-se na comunidade desde sua fundação.

Desde então, a subsistência da comunidade sempre esteve ligada ao cultivo da terra, produzindo alimentos como farinha, açaí, manga e melancia. Apesar da simplicidade, Ressaca da Pedreira conta com recursos básicos essenciais, como eletricidade 24 horas, um posto de saúde, uma escola abrangendo do 1º ao 4º ano, e ambas as igrejas católica e evangélica para as práticas religiosas. No entanto, embora possua um telefone público, este encontra-se inoperante.

Anualmente, os moradores celebram festas tradicionais como o Divino Espírito Santo durante a Quaresma e o Menino Deus em dezembro, ritmadas ao som do Marabaixo e regadas à gengibirra. Destaque-se o trator adquirido comunitariamente, um feito orgulhosamente mencionado pelo senhor Manoel Antônio, filho de Nestor.

Atualmente, a comunidade é composta por aproximadamente 72 famílias, que buscam o escoamento de seus produtos até Macapá, aproveitando-se de suas terras certificadas. Em meio às adversidades, a fé e a preservação da cultura local são os pilares que sustentam a vida em Ressaca da Pedreira.

Um herdeiro da tradição: Joaquim, filho de Nestor

Encerrando, lembranças são enviadas a João Jackson, filho de dona Maria Augusta, e a toda a comunidade por sua calorosa recepção, eterniza os laços que unem essa comunidade resiliente.