Unidades Super Fácil têm aglomeração na entrada e secretária orienta população

De acordo com a secretária-adjunta do Super Fácil, Patrícia Silva, existe um número limitado de pessoas que podem ficar na parte interna de cada unidade.

Unidades Super Fácil têm aglomeração na entrada e secretária orienta população
Foto: Paulo Sérgio/internauta

Com o retorno de alguns serviços nesta semana, as unidades Super Fácil em Macapá estão sendo cenário de aglomeração na parte externa dos prédios. Na manhã desta terça-feira (12), um ouvinte/internauta do programa radiofônico Luiz Melo Entrevista (Diário 90,9 FM) mostrou como estava a situação no Super Fácil Zona Norte, que fica próximo ao Detran e ao MP.

Em resposta, a secretária-adjunta do Super Fácil, Patrícia Silva, explicou que os atendimentos são feitos por senha e existe um número limitado de pessoas que podem ficar na parte interna. Quando o limite é atingido, o restante da população aguarda na parte externa.

“O Super Fácil é um ‘shopping de serviços institucionais’, então, a demanda pelos serviços que oferecemos é muito grande, mesmo abrindo as unidades e com número limitado de atendimentos. Estamos com o número reduzido de servidores, a população precisa entender isso, além de que não temos como colocar todo mundo pra dentro das unidades ao mesmo tempo. Muitos não dão importância, mas continuamos com o vírus da covid aí e nós estamos mantendo os cuidados”, justificou Patrícia Silva.

De acordo com a secretária, o número de atendimentos de cada órgão continua reduzido, sendo preciso pegar senha previamente solicitada.

“É feito um número limitado de senhas por dia, o cidadão tem que entender. Na zona norte, por exemplo, a aglomeração está fora da unidade. Estamos tendo uma grande procura para agendamento de consultas, considerando que algumas especialidades médicas foram abertas. Então, conforme vai saindo usuário, vamos colocando outros. O que acontece com o Super Fácil é a mesma situação da Caixa Econômica, temos filas, uma vez que controlamos as entradas e cuidamos não só dos cidadãos, mas dos nossos servidores também”, finalizou Patrícia.

Fonte de noticia: Diario do Amapá