Revolta do Contestado: A Luta Sob a Liderança de Cabralzinho

A história pouco conhecida de bravura e resistência que marcou a região do Amapá.

Revolta do Contestado: A Luta Sob a Liderança de Cabralzinho
Foto João Ataíde

Ainda viajo no passado dessa história de luta e bravura em que vejo que cada amapaense tinha de conhecer, movido por esse objetivo é que compartilho essas pesquisas.

Em 10 de dezembro de 1894, enquanto o Brasil estava imerso na Guerra Civil na Região Sul e na Revolta na Armada (1893-95), uma revolta pouco conhecida ecoava nos confins da região do Contestado, sob a liderança de Francisco Xavier Veiga Cabral, conhecido como Cabralzinho.

A população revoltada depôs Eugene Voissen e o substituiu por um Triunvirato, composto por Francisco Xavier da Veiga Cabral (o Cabralzinho), Desidério Antônio Coelho e o Cônego Domingos Maltêz. Este Triunvirato assumiu poderes administrativos, financeiros e militares, organizando o Exército do Amapá e adotando a Constituição do Pará.

Entretanto, a tensão aumentou quando o governador da Guiana Francesa nomeou Trajano como seu representante na região. Trajano, um aliado dos franceses, foi encarregado de reverter a situação e afrontar o Triunvirato.

O Major Félix Antônio de Souza tentou demover Trajano de seus atos, mas sem sucesso. A disputa atingiu seu ápice quando Trajano foi preso e castigado fisicamente pelos brasileiros revoltados, sendo levado para a Vila Amapá.

A notícia do incidente chegou até Caiena, capital da Guiana Francesa, desencadeando uma reação imediata por parte das autoridades francesas.

Essa revolta, liderada por Cabralzinho, é um capítulo marcante e pouco explorado da história do Amapá, que evidencia a luta e a resistência do povo local contra as adversidades e interferências externas.

Por João Ataíde o Viajante.